Membros Inferiores

Anca

Na articulação da anca podemos encontrar quatros bursas, bolsas gelatinosas que servem para evitar a fricção entre músculos, tendões e osso, a mais comum de inflamar é a bursa do grande trocanter, originando assim trocanterites.

 

A um desgaste da cartilagem desta articulação, damos o nome de coxartrose. Relacionada com esta patologia temos o conflito femoroacetabular que afeta uma fibrocartilagem chamada de labrum que quando se encontra degenerada provoca dor na anca.

Perante a existência de dor na virilha, podemos diagnosticar casos de pubalgia, normalmente associados a desportistas do  futebol, râguebi ou tênis. Não tratada pode tornar-se crónica.

Muito comuns são também as sacroileítes. A anca roda por si própria, causando um desalinhamento da sua posição em relação ao sacro, inflamando a junção Sacro-ilíaca.

Joelho

A entorse do joelho deve-se ao estiramento dos ligamentos cruzado anterior e posterior, causando dor intensa e inchaço.

Semelhantemente às restantes articulações do corpo o joelho também sofre de artroses, desgastes das cartilagens, patologia denominada por gonartrose.

À inflamação do tendão da rótula damos o nome de tendinite, muito comum em atletas que fazem uso da corrida e/ou salto.

Há uma entorse sempre que há estiramento de ligamentos. Uma das mais frequentes lesões do desporto é a entorse da tibiotársica.

Na planta do pé, ligando o calcanhar aos dedos, existe uma banda chamada fáscia plantar que quando inflama dá origem a uma fascíte plantar. Por vezes a extremidade da fáscia, junto ao calcanhar, calcifica formando uma espécie de "osso" ao qual chamamos de esporão do calcâneo.

Outra condição muito comum do pé é a inflamação do tendão de aquiles, ja que esse ajuda no processo de correr, andar, saltar e outros, é portanto uma tendinopatia do tendão de aquiles.

rua joaquim santos vaquinhas 5B  2560-345, torres vedras
geral@biofisio.pt   |    261 096 066   |    10h00 - 19h00  
consultas sob marcação - possibilidade de marcação em horário alargado